quinta-feira, 28 de outubro de 2021

Alcolumbre diz que não aceitará ser ameaçado ou perseguido

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Da Redação

O senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), após ser alvo de críticas por parte do presidente Jair Bolsonaro, divulgou uma nota. No texto, publicado nesta quarta-feira (13), o parlamentar diz que tem sofrido diversas agressões por postergar a sabatina do ex-advogado-geral da União, André Mendonça, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.

Alcolumbre é presidente da CCJ e, portanto, tem o poder de decidir quando colocar a sabatina em pauta. Três meses após a indicação de Bolsonaro, no entanto, ele não o fez nem indicou qualquer previsão de quando fará.

“Agridem minha religião, acusam-me de intolerância religiosa, atacam minha família, acusam-me de interesses pessoais fantasiosos. Querem transformar a legítima autonomia do presidente da CCJ em ato político e guerra religiosa. Reafirmo que não aceitarei ser ameaçado, intimidado, perseguido ou chantageado com o aval ou a participação de quem quer que seja”, ressalto.

13 de outubro de 2021, 21:31

Compartilhe: