segunda-feira, 27 de junho de 2022

Ciro critica papel de tutela da democracia desejado por parte das Forças Armadas

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Da Redação

O pré-candidato à Presidência da República pelo PDT, Ciro Gomes, criticou nesta terça-feira (21) os processos de formação e promoção da cúpula das Forças Armadas no Brasil devido à ideia presente em setores militares de que elas têm um papel de tutela da democracia e da República. Ciro prometeu mudar os critérios de promoção caso seja eleito em outubro.

“É preciso acabar de uma vez por todas com essa excrescência histórica de que a cúpula das Forças Armadas se atribui um papel tutelar sobre a democracia do Brasil, sobre a República brasileira. Isso tem que ser revogado de uma vez por todas no processo de formação dos militares porque não é por maldade, eles foram formados assim, eles ainda hoje são formados assim”, afirmou.

A declaração foi feita em entrevista à rádio CBN. Ciro respondia a uma pergunta da jornalista Miriam Leitão sobre as críticas do presidente Jair Bolsonaro (PL) e parte dos militares ao processo eleitoral. Segundo o pedetista, é improvável que ocorra um golpe militar no país por falta de apoio de setores da sociedade.

Ele atribuiu os problemas na formação e na promoção das Forças Armadas a uma omissão dos governos anteriores e dos “democratas brasileiros” que, segundo ele, não tiveram o cuidado de fazer “um processo de mudança em diálogo com as forças militares”.

22 de junho de 2022, 11:15

Compartilhe: