segunda-feira, 23 de maio de 2022

“Independência não é oposição”, frisa ACM Neto sobre o governo Bolsonaro

Foto: Reprodução/Em Foco

Da Redação

O presidente nacional do DEM e ex-prefeito de Salvador, ACM Neto, em entrevista exclusiva a Andréia Sadi, no Em Foco, neste domingo (7), lembrou que esta semana seu partido foi vitorioso ao ter o senador Rodrigo Pacheco (DEM-AP) eleito para presidir a Casa.

ACM Neto destacou que pelo 4º ano consecutivo o DEM vai presidir uma das duas Casas do Legislativo. Com relação à Câmara, frisou que “a neutralidade era a única forma de preservar o DEM”, para evitar que partido ficasse dividido. “Não se pode responsabilizar o DEM pela derrota de Baleia Rossi, haja vista que Lira tinha o dobro dos votos de Rossi”, ponderou.

Neto negou com veemência a possibilidade de integrar a base do governo federal, quando questionado se existiu oficialmente uma promessa de troca de cargos por apoio à gestão Bolsonaro, afirmando que o DEM tem uma postura de independência. “Independência não significa oposição. Não fazemos parte da base, mas também não somos oposição”, ratificou.

O ex-prefeito de Salvador também negou que tenha sido sondado a assumir um dos ministérios e admitiu que possui outro projeto. ACM Neto informou que, ao longo deste ano, tem como missão preparar o partido para as eleições de 2022 e estar focado na Bahia.

Perguntado acerca da possível saída do deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) da legenda, ACM Neto disse que a decisão cabe a Maia e elogiou sua atuação na presidência da Câmara, ressaltando os 20 anos de amizade que mantém com o parlamentar. “A decisão é dele, mas desejo que fique no Democratas”, salientou.

Nova política

“A nova política ficou velha cedo demais”, disparou ACM Neto. Segundo o ex-chefe do Executivo soteropolitano, nas eleições de 2020, ficou claro que o eleitor está mais atento e interessado em saber o que o político escolhido vai entregar ao povo. “Essa será a tônica em 2022”, avaliou. “O eleitor identificou que é preciso haver gestores com capacidade de administrar e liderar”, disse.

Ao ser abordado sobre a possível filiação de Luciano Huck, com o objetivo de concorrer às eleições presidenciais em 2022, Neto adiantou que não pode falar pelo apresentador de televisão e revelou que não conversaram sobre o tema.

Sobre as eleições presidenciais em 2022, ACM Neto avisa que o DEM quer ser protagonista com candidato próprio ou fornecendo apoio. “A escolha será feita ao longo de 2021, na hora certa e com serenidade”.

Dentre os possíveis nomes de serem os futuros candidatos à Presidência pelo DEM ACM Neto destacou Nelson Mandetta (ex-ministro da Saúde) e Ronaldo Caiado (governador de Goiás).

“Não está descartado o apoio à candidatura de Bolsonaro em 2022”, afirmou, mas deixou claro que o DEM não apoiará posturas radicalistas ou de extrema direita. “Vamos apoiar o que traga equilíbrio para o país”, observou.

08 de fevereiro de 2021, 07:27

Compartilhe: