sábado, 22 de janeiro de 2022

João Santana é apontado como empecilho para formação de chapa com Ciro e Marina

Foto: Divulgação

Da Redação

O marqueteiro baiano João Santana é apontado como um dos empecilhos para a formação de uma chapa com o Ciro Gomes (PDT) e Marina Silva (Rede).

A possibilidade tem sido aventada entre aliados e movimentou as redes sociais nos últimos dias. Segundo o jornal O Globo, interlocutores de Marina dizem que os obstáculos não são instransponíveis, mas deixam claro que esperam um gesto de Ciro.

Até o momento o PDT não fez nenhum convite formal à ex-ministra, apesar dos elogios públicos direcionados a Marina.

O empecilho envolvendo João Santana, que está à frente do marketing de Ciro, remete à eleição de 2014, quando Marina Silva era candidata à Presidência pelo PSB. Santana era o responsável pela campanha à reeleição da então presidente Dilma Roussef e uma das peças veiculadas no horário eleitoral falava sobre a propsota de Marina promover a independência formal do Banco Central. A peça usou imagens de pratos de comida sendo retirado da mesa dos trabalhadores, em alusão à suposta consequência da medida.

Em uma entrevista concedida no início do ano passado ao UOL, Marina Silva chegou a afirmar que os inventores de fake news foram Dilma e João Santana.

Em entrevista ao jornal O Globo, o presidente do PDT, Carlos Lupi, minimizou o episódio e avaliou que é possível “aparar as arestas”. No entanto, sugere que Ciro não abriria mão do marqueteiro. “Ele [Santana] não é o candidato. Candidato é o Ciro. Em política não existe isso [abrir mão do João Santana]. Tem que aparar as arestas, afinar a viola”, afirmou Lupi.

O marqueteiro baiano é considerado um dos maiores empecilhos, mas não o único para a formação da chapa entre Ciro e Marina. Outro aspecto que está sendo levado em conta é que a Rede avalia a possibilidade de se unir ao PSOL numa federação, e o partido de Guilherme Boulos deve apoiar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

13 de janeiro de 2022, 09:27

Compartilhe: