terça-feira, 18 de janeiro de 2022

PF aponta crime ao concluir primeiro inquérito sobre ameaças contra diretores da Anvisa

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Da Redação

A Polícia Federal concluiu que o paranaense Douglas Bozza cometeu crime de ameaça ao mandar e-mail a cinco diretores da Anvisa em que dizia que iria matar quem “atentasse contra vida de seu filho”.

A ameaça foi feita em outubro, quando o órgão iniciava o debate sobre a vacinação a partir dos cinco anos.

“Por identificar uma ameaça contra a saúde e integridade do meu filho nestas vacinas experimentais, sejam o que forem (sic), estou tomando a difícil atitude de retirá-lo do ambiente escolar. Deixando bem claro para os responsáveis de cima para baixo: quem ameaçar, quem atentar contra a segurança física do meu filho, será morto”, dizia de Douglas

O inquérito foi aberto no mesmo mês e concluído em novembro. O acusado alegou que existiria comprovação de “que as vacinas são uma ameaça para as crianças” e que quis fazer “um pouquinho de terrorismo” com os técnicos da agência reguladora.

Por se tratar de crime com menor potencial ofensivo, a Polícia Federal não indiciou Douglas Bozza. Caberá ao Ministério Público Federal (MPF) decidir se denuncia ou faz um acordo para transação penal com o acusado. A pena prevista é de 1 a 6 meses de prisão ou multa.

21 de dezembro de 2021, 11:36

Compartilhe: