quinta-feira, 25 de julho de 2024

Rapidinhas: Coronel perde força, Marcinho e as novas juras a Jerônimo e o prefeito que exagerou na dose

Foto: Reprodução

Alberico Gómez e equipe

Senador sem moral

Aliados importantes do governador Jerônimo Rodrigues (PT) garantem que o petista não deseja ter o senador Ângelo Coronel (PSD) na chapa em 2026. O chefe do Executivo estadual não perdoou o congressista pela ausência total na campanha de 2022, e ficou ainda mais irritado com o movimento de Coronel de assumir a liderança de um bloco informal de dez parlamentares aliados constantemente insatisfeitos na Assembleia. Para piorar, o senador ameaçou, na semana passada, lançar uma candidatura avulsa ao Senado para concorrer à reeleição.

Água fria

“Até o senador Otto Alencar (PSD) reconhece, reservadamente, que Coronel perde força com esses movimentos, ao invés de ganhar”, avaliou um político com trânsito no Palácio de Ondina. A fonte lembrou que o senador Jaques Wagner (PT), candidatíssimo à reeleição, já colocou o ministro da Casa Civil, Rui Costa (PT), na briga pela segunda vaga ao Senado na chapa governista em 2026, o que foi um banho de água fria para as pretensões de Coronel.

Doce das crianças

Aos poucos, o governo Jerônimo tenta resolver as pendências com o grupo de parlamentares na Assembleia Legislativa que declarou apoio a Jerônimo a partir do segundo turno do pleito de 2022. Um deles é o deputado Luciano Araújo (Solidariedade), que foi atendido na solicitação de obras de calçamento no município de Conceição do Coité, na região sisaleira. A intervenção será realizada pela Conder. A cidade é administrada pelo prefeito Marcelo Araújo (União), parente de Luciano e que apoiou ACM Neto (União) e Jair Bolsonaro (PL) nas eleições passadas.

Direção oposta

Enquanto ACM Neto (União Brasil) amplia as críticas ao governo Jerônimo, o aliado de partido, deputado estadual Marcinho Oliveira (União Brasil), segue com a mania de subir no palanque do petista pelo interior. No sábado (15), em Abaré, o parlamentar fez elogios ao chefe do Executivo baiano durante a inauguração de um colégio em tempo integral.

Namoro duplo

“Governador, temos um compromisso de trabalho e, por mais que a gente não tenha sido eleito em palanques iguais, conte com esse deputado na Assembleia para sempre levar melhorias para a região norte da Bahia, que tanto espera por políticas públicas concretas que vêm acontecendo no seu governo, um governo que está perto do povo, mostrando realizações”, discursou Marcinho, que é liderado do deputado federal Elmar Nascimento (União), outro que “namora” os petistas baianos de olho na presidência da Câmara.

Recesso junino

A Assembleia Legislativa deve votar o projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) do governo do Estado nesta terça-feira (18), entre outras matérias em pauta, e entrar em recesso junino. Tem gabinete de parlamentar que só irá reabrir para atendimento em julho. Alguns deputados seguem o ritmo intenso de pré-campanha embalados pelos festejos da época, enquanto outros optam por tirar um tempo para descansar e recarregar as energias antes da maratona eleitoral.

Prefeito percussionista

O prefeito de Irecê, Elmo Vaz (PSB), exagerou na dose durante os festejos juninos na cidade e, segundo informações que chegaram à coluna, precisou de ajuda para chegar em casa. Ele ficou tão animado que deu uma de percussionista durante a apresentação de uma das bandas. Quem esteve presente classificou a cena como inebriante. E olha que a festa está só no começo.

Coordenadores cristãos

Ex-deputado estadual, Yulo Oiticica (PT) foi incorporado ao time da coordenação operacional da pré-campanha do vice-governador Geraldo Júnior (MDB) em Salvador. Depois que ficou sem mandato, em 2016, o petista, que é ligado ao movimento católico, já ocupou diversas funções no governo da Bahia. O representante do bloco evangélico na coordenação operacional do emedebista é Heber Santana (Podemo), ex-vereador que deixou o comando da Defesa Civil da Bahia para assumir a nova função.

Disputa silenciosa

Do lado do prefeito Bruno Reis (União), há uma disputa silenciosa sobre quem deixa a estrutura da máquina municipal para dedicar-se exclusivamente à campanha. Um dos cotados para assumir um papel de destaque na majoritária é o diretor-geral da Defesa Civil de Salvador, Sosthênes Macedo, secretário-geral do União Brasil em Salvador. Quem deve ficar de fora, por sua vez, é o sub da Secretaria de Mobilidade, Kaio Moraes.

Planos “verdes”

Presidente do PV na Bahia, Ivanilson Gomes calcula que o partido vai lançar de 25 a 30 candidatos a prefeito nas eleições deste ano. O plano mais ambicioso, embora considerado remoto, ainda é Juazeiro, com o nome do deputado estadual Roberto Carlos (PV). Para isso, o ex-prefeito Isaac Carvalho (PT), favorito dentro da federação e da base de Jerônimo, precisa ser convencido de que está inelegível.

17 de junho de 2024, 19:26

Compartilhe: