terça-feira, 21 de setembro de 2021

Rapidinhas: Deputados de tanque vazio e a pergunta que cala

Foto: Reprodução

Davi Lemos

Deputados de tanque vazio

Não passou despercebida a passividade da base do governador Rui Costa (PT) na Assembleia Legislativa diante das críticas feitas ao chefe do Executivo estadual pelo deputado Paulo Câmara (PSDB) por conta do aumento dos combustíveis na Bahia. A explicação: os parlamentares são movidos por liberação de recursos para as bases eleitorais via emendas, e estão com os “tanques vazios”. Após a saída de Robinho (PP) da base, com a exposição pública do problema, outros parlamentares admitem que farão operação padrão: só moverão o dedo para votar a favor dos projetos do Executivo, mas nada de defesa em plenário.

Fogueira com gasolina

Os únicos a defender Rui Costa dos ataques de Paulo Câmara foram os petistas Rosemperg Pinto e Robinson Almeida. E por falar no assunto, Câmara promete colocar ainda mais gasolina no debate sobre quem é o culpado pelo aumento dos combustíveis na Bahia esta semana. O parlamentar divulgou recentemente um vídeo atribuindo a culpa ao estado por conta de cálculos do ICMS. O governador chamou o deputado de mentiroso e reafirmou que não houve qualquer aumento do imposto estadual na Bahia, e que a culpa pela elevação dos preços, como também apontam técnicos entendidos do assunto, é da Petrobras.

Relações cortadas?

Insatisfeitos com as emendas travadas, os deputados da base governista estão chateados não só com Rui Costa, mas também com o secretário estadual de Relações Institucionais, Luiz Caetano, que não consegue resolver o problema. Segundo se comenta na Assembleia, Caetano tem dedicado mais tempo a consolidar a candidatura da mulher, Ivoneide Caetano (PT), a deputada federal do que em atender os parlamentares, sobretudo aqueles que não são do Partido dos Trabalhadores.

A cadelinha ciumenta de Arthur Maia

Pergunta que cala

Ontem (29), o deputado federal Arthur Maia (DEM) postou um vídeo simpático no Instagram brincando com Mel, a cadela de estimação, classificada por ele como muito ciumenta. Durante a gravação, uma voz masculina não identificada indaga: “João Roma vai ser mesmo, não vai?”. Depois disso, o vídeo é cortado, sem qualquer resposta do deputado, que ficou calado. O interlocutor se referia, claro, ao ministro da Cidadania, que teria dito a aliados no final de semana que decidiu ser candidato ao governo da Bahia em 2022. Falta a Roma ganhar a confiança dos bolsonaristas baianos. Um passo decisivo nessa direção seria a presença do ministro nas manifestações do dia 7 de setembro em Salvador.

Cadeira criptonita

João Roma, por sinal, ficou todo feliz e respondeu de pronto com um “quero” quando o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), em live na última quinta-feira (26), perguntou se o pernambucano aceitaria sentar na cadeira presidencial no lugar do titular. “Você fala que quer porque não está sentado nessa cadeira, que é como se fosse a criptonita”, disse um Bolsonaro metido a Super-Homem. Roma participou da live ao lado de outros ministros e membros do governo federal.

Pastor lulista

Entre Isidório e Lula, a Bíblia

Durante passagem por Salvador, na semana passada, o ex-presidente Lula (PT) postou nas redes sociais uma foto ao lado do deputado Pastor Sargento Isidório (Avante), registrada em um encontro com políticos da base do governo baiano, no Hotel da Bahia. O objetivo foi mostrar que uma das principais lideranças evangélicas do Brasil – Isidório foi o deputado federal mais votado da Bahia em 2018 – está com o petista, e não com Bolsonaro.

Fatos e versões

Outro momento da passagem de Lula que merece uma versão mais fiel aos fatos ocorreu quando o petista elogiou o senador Otto Alencar (PSD) em evento na Assembleia Legislativa. “Vi a surra que você deu naquela médica que queria vender cloroquina. Eu vi você dar uma aula de sabedoria e medicina para aquela mulher”, disse Lula. Mas esqueceu de lembrar que a médica Nise Yamaguchi acertou toda a sabatina feita pelo senador baiano. Otto, de forma deselegante, continuou a falar como se a médica tivesse errado as respostas na CPI da Pandemia.

Comissão parlamentar

O ex-prefeito de Itabuna Fernando Gomes (PTC) disse que não se candidatará a mais nenhum cargo eletivo e que não assumirá mais nenhuma função pública, nem nomeado. Mas a bomba ficou na justificativa: “Quando fui deputado, tinha homens de bem na Câmara, mas esse Congresso é diferente. Hoje, deputado coloca emenda na cidade e quer comissão depois. Na minha época como deputado, isso não existia. Hoje, tem deputado que pede de 20% a até 50%. Vai fazer obra como desse jeito?”, indagou o ex-prefeito.

Prevaricação?

O questionamento feito por observadores da política baiana foi o seguinte: se o ex-prefeito Fernando Gomes sabia das “comissões”, por que ficou calado? Ele permitiu que o esquema corresse solto? “Se ele sabia do fato e deixou correr solto, pode ser considerado cúmplice. Não ter denunciado um esquema de desvio de recursos de emendas pode ser prevaricação”, disse um político com atuação no sul baiano. Gomes deu as declarações em entrevista às rádios Interativa e Difusora de Itabuna.

Aleluia arrisca nas manobras

Aventuras do vovô Aleluia

O ex-deputado federal José Carlos Aleluia (DEM) postou um vídeo nas redes sociais em que se equilibra num skate elétrico de duas rodas (overboard) com a seguinte legenda: “Os riscos de ser avô”. O ex-deputado recebe as orientações de quem filmava sobre como ficar em cima do brinquedo: “Acelere mais, incline mais para frente. Fique com o corpo reto, agora que já pegou o jeito”. A médica Mônica Bahia, que foi candidata a vice-governadora na chapa de José Ronaldo (DEM) em 2018, comentou: “Adorei! Cuidados”. Outro internauta escreveu: “O que os filhos não fazem a gente fazer pelos netos”. O vovô Aleluia passou no teste.

Insegurança publica

O debate sobre a segurança pública deve ganhar destaque nas eleições de 2022 na Bahia. O tema tem sido insistentemente tratado pelo pré-candidato do DEM, ACM Neto. Ontem (29), ele disse que a Bahia é responsável por 14% das mortes violentas do país, ocupando o triste primeiro lugar em número de homicídios. “Como é que enfrenta isso? Colocando no governo alguém que tenha energia, coragem, enfrente o problema e leve a solução. Um governador que bote para fora os bandidos: que eles vão para outro lugar, mas na Bahia eles não possam se criar”.

30 de agosto de 2021, 12:44

Compartilhe: