quinta-feira, 11 de agosto de 2022

Rapidinhas: Otto pode perder aliados, a nova estratégia de Rui e o médico camaleão de Itabuna

Foto: Divulgação

Davi Lemos

A roda da insatisfação

Com um único ato, o PT conseguiu, mais uma vez, desestabilizar sua base que já anda bastante desanimada com o desempenho do pré-candidato do partido ao governo, Jerônimo Rodrigues (PT). O anúncio de que o ex-prefeito de Ibotirama Terence Lessa (PT) é o nome escolhido para ocupar a vaga de suplente do senador Otto Alencar (PSD) gerou tensão na base, que reclama da “sede” petista por mais espaço na majoritária. Tanto o PV quanto o PCdoB manifestaram o desagrado com a decisão e ameaçam abandonar ou fazer corpo mole na campanha para o Senado.

Governador Rui Costa (Foto: Paula Fróes/GOVBA)

Subida de tom

A base de sustentação à pré-candidatura de Jerônimo Rodrigues já vinha reclamando do estilo “morno” que o petista adota em suas falas nos eventos de pré-campanha (os chamados “PGPs”), tanto que, como registrado na edição da semana passada dessa coluna, coube ao governador Rui Costa (PT) subir o tom contra o atual líder das pesquisas, ACM Neto (União). Ainda antes do anúncio da suplência de Otto Alencar, socialistas e comunistas comentavam, na semana passada, que o senador Jaques Wagner (PT) errou ao recusar ser o candidato petista ao Palácio de Ondina. Seguem remoendo o passado.

Queixas a Sidônio

Enquanto Rui Costa eleva o tom, o publicitário baiano Sidônio Palmeira, marqueteiro de Lula (PT), tem ouvido queixas de deputados federais petistas sobre a estratégia do ex-presidente de não criticar ACM Neto (União) nem mesmo quando vem à Bahia. Para esses parlamentares, o presidenciável do partido poderia dar uma “forcinha” para desgastar Neto, como fazia no passado. Mas isso dificilmente deve ocorrer, pois Lula quer vencer o presidente Jair Bolsonaro (PL) ainda no primeiro turno, e Neto é popular demais para ser alvo.

Casadinha

A oposição na Bahia tem em mãos uma pesquisa feita para consumo interno apontando que 63% dos eleitores que declararam voto no ex-presidente Lula (PT) pretendem votar também no ex-prefeito de Salvador ACM Neto (União). Essa “casadinha” é tudo que o governador Rui Costa (PT) quer desconstruir, mas não parece ser um problema para o próprio Lula, que não faz crítica a Neto.

Médico Antonio Mangabeira (Foto: Reprodução/Facebook)

Inversões grapiúnas

E por falar em João Roma, ele conseguiu convencer o médico Antonio Mangabeira, de Itabuna, a ser candidato a deputado federal pelo PL. O detalhe é que Mangabeira, até pouco tempo pertencente aos quadros do PDT, partido pelo qual disputou a prefeitura e quase foi eleito para a Câmara Federal em 2018, sempre foi um esquerdista de corpo e alma. Mas o fato não surpreendeu os grapiúnas, afinal um outro médico, Edson Dantas, até pouco tempo um bolsonarista convicto, deixou o PL e ingressou no PDT para concorrer a uma cadeira na Assembleia Legislativa. A política itabunense é sempre muito dinâmica.

Coerência?

Ainda sobre Dr. Mangabeira, antes de fechar com João Roma ele chegou a anunciar o apoio à reeleição do deputado federal Paulo Magalhães (PSD), em um acordo intermediado pelo prefeito de Itabuna, Augusto Castro (PSD). A aliança durou pouco tempo, e se ocorresse também seria inusitada. Explica-se: antes das eleições municipais de 2020, Mangabeira, que disputou a prefeitura pelo PDT, recusou uma oferta para ter Castro como vice, utilizando impublicáveis adjetivos contra o ex-deputado estadual. Naquele ano, o então pedetista ficou apenas na quarta colocação, enquanto o ofendido, ajudado pela Covid, venceu.

Nova estratégia

O governador Rui Costa, quando foi anunciar obras na cidade de Cândido Sales na semana passada, revelou uma nova estratégia para evitar cobranças dos prefeitos. “Não falo mais o valor, só falo agora o nome da obra”, disse, ao explicar que, dessa forma, evita ciumeiras entre os gestores que buscam recursos e intervenções. Antes, a cada anúncio de obras nos municípios, um locutor detalhava o volume de recursos. Agora, os prefeitos precisarão consultar o Diário Oficial ou os órgãos do governo.

Contas

O governador Rui Costa (PT) teve as contas relativas a 2021 aprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), sem ressalvas. O relator, conselheiro João Bonfim, reiterou, na leitura de seu voto, que “o Supremo Tribunal Federal (STF) consagrou o entendimento de que o parecer prévio tem papel meramente opinativo” e que caberia somente à Assembleia Legislativa a decisão final. Nesse ponto, o relatório de Bonfim agradou os adversários de ACM Neto na Câmara de Vereadores, onde as contas do ex-prefeito relativas a 2017 podem ser rejeitadas, mesmo com parecer favorável do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM).

Passagem de ACM Neto por São Gonçalo dos Campos (Foto: Reprodução/Instagram)

Pai e filho

Na sexta-feira (8), durante passagem de ACM Neto por São Gonçalo dos Campos, o prefeito Tarcísio Pedreira (Republicanos) não somente declarou apoio ao pré-candidato do União Brasil ao governo estadual como também fez críticas duras a João Roma, a quem chamou de “ingrato”. O estilo de Tarcísio lembra o do ex-deputado estadual Targino Machado, que é pai dele. O curioso é que Targino apoia Jerônimo Rodrigues. Nas últimas eleições municipais em Feira de Santana, quis apostar com o ex-prefeito José Ronaldo (União) que Colbert Martins (MDB) seria derrotado pelo deputado federal Zé Neto (PT). Como a aposta não foi fechada, não perdeu dinheiro. Será que vai apostar em Jerônimo?

11 de julho de 2022, 17:41

Compartilhe: