segunda-feira, 23 de maio de 2022

Rapidinhas: Rui e o siri, o palanque duplo de Luiz de Deus e a meta de Carballal

Foto: Fernando Vivas/GOVBA

Davi Lemos

Rui e o siri-boia

O governador Rui Costa adicionou mais um detalhe sobre os perrengues que afirma ter passado quando vivia na Liberdade e não tinha a fartura que tem atualmente no Palácio de Ondina. Em discurso realizado nesta segunda-feira (4), em Santanópolis, o petista, que sempre ressalta sua origem sofrida, disse que, além do pirão de café feito pela mãe dele para matar a fome e dar “sustança”, costumava descer para Monte Serrat para pescar siri. Na comunidade da Pedra Furada, no bairro, é comum a pesca do siri-boia, iguaria muito servida nos bares da região, principalmente como moqueca. Será que algum dos antigos pescadores lembra daquele então jovem pescador?

Prefeito de Paulo Afonso, Luiz de Deus (Foto: Reprodução/ Redes sociais)

É de Deus, Luiz?

O prefeito de Paulo Afonso, Luiz de Deus (PSD), trabalha para montar dois palanques para eleger a neta, Luiza de Deus, a deputada estadual. O primeiro palanque terá ele apoiando Jerônimo Rodrigues (PT) e Otto Alencar (PSD); no outro palanque, com ACM Neto e João Leão, sendo apoiado pelo genro Luiz Humberto (Luizinho), pai de Luiza, recém-lançada ao posto de pré-candidata à Assembleia após a desistência do mesmo Luizinho, visto como o manda-chuva da gestão municipal. Falta ao prefeito combinar a jogada com Rui e com ex-prefeito de Salvador; quem não está gostando de nada disso também é o deputado estadual Paulo Rangel (PT), que é prejudicado com o apoio de Luiz de Deus à neta.

Vereador Henrique Carballa (Foto: Toda Bahia)

A meta

O vereador Henrique Carballal (PDT), que já foi líder da bancada do ex-prefeito ACM Neto (União Brasil), pré-candidato ao governo, chegou a dizer que levaria dez vereadores atualmente na base de Bruno Reis (União) para apoiar o candidato do PT, Jerônimo Rodrigues. No evento em que Lula esteve em Salvador para lançar a chapa, anunciada no dia anterior, com Jerônimo e o presidente da Câmara, Geraldo Jr (MDB), Carballal disse que dez era uma meta. Na quinta-feira (31), o pedetista, que reafirmou amizade com Bruno e Neto, salientou que, dos dez, só tém Carlos Muniz (PTB), além dele e de Geraldo, para pedir votos por Jerônimo.

Independência?

Apesar dos discursos de Carballal, Muniz e Geraldo Jr dizem que manterão relação independente e cordial com a administração de Bruno Reis. Antigo integrante da bancada oposicionista na Câmara Municipal de Salvador disse, em conversa com esta coluna, que a intenção do grupo vitaminado agora com a presença dos aliados do emedebista é realmente inviabilizar, no que for possível, a gestão do prefeito da capital baiana e, assim, tentar apagar o maior trunfo de ACM Neto para a disputa pelo Palácio de Ondina em 2022. “Geraldinho esteve em Feira com Jerônimo e pode aprender com Fernando Torres”, disse esse antigo opositor. Nota: Fernando Torres (PSD) é presidente da Câmara Municipal de Feira e ferrenho opositor do prefeito Colbert Martins (MDB), que deve manter apoio a Neto.

Diálogo inusitado

Um dos vereadores bolsonaristas da Câmara Municipal de Salvador, ao acompanhar a ‘rebelião’ na base de Bruno Reis com a debandada de Geraldo Jr e seus liderados para as bandas do pré-candidato do PT, perguntou: “como faço para participar disso aí?”. O edil aliado de Geraldo Jr retrucou: “mas você não vota em Jerônimo”. O bolsonarista retrucou: “o PSTU também não vota no PT”; ao que o “geraldinista” respondeu: “você capta rápido o jogo”. Ambos caíram na gargalhada. Era só pilhéria, nada sério.

Capacidade

O deputado estadual Roberto Carlos, recém-filiado ao PV e pré-candidato à reeleição, tem uma outra disputa importante antes do pleito de outubro: conseguir que a Juazeirense enfrente o Palmeiras pela próxima fase da Copa do Brasil no Estádio Adauto Moraes, em Juazeiro. Ele trabalha para que possa ampliar a capacidade do estádio, hoje de 7 mil lugares, para 10 mil, com a colocação de arquibancadas móveis. O bom desempenho da Juazeirense, acreditam os aliados de Roberto Carlos, posse ser o passaporte para que o parlamentar carimbe a permanência na Assembleia Legislativa da Bahia.

A hora do vice

Se até a semana passada a discussão pairava sobre quem seria o vice de Jerônimo, as especulações agora mudam de lado e a pergunta que fica é: quem será o vice de ACM Neto? O ex-prefeito de Salvador já havia afirmado que apenas bateria o martelo após o dia 2 de abril, com o fim da janela partidária. “Mas essa escolha pode demorar um pouco. Algumas semanas ou até mais tempo. Não temos pressa, pois temos excelentes nomes”, disse um parlamentar do grupo de Neto. “O lado de lá não tinha nomes; nós temos até para emprestar”, brincou o parlamentar, referindo-se à ida de Geraldo Jr para a vice de Jerônimo, e que aposta em um nome jovem para compor com Neto.

04 de abril de 2022, 16:48

Compartilhe: