terça-feira, 21 de setembro de 2021

Rapidinhas: temporada de caça a Baleia e o chamego antigo de Roberto Carlos

Foto: Valter Pontes/Secom e Divulgação

Davi Lemos

Caça a Baleia

Já prevendo e, segundo fontes desta coluna, praticamente dando como certa a ida do MDB baiano para a base do governador Rui Costa (PT) e o consequente apoio à candidatura do senador Jaques Wagner (PT) ao Palácio de Ondina em 2022, o presidente nacional do DEM, ACM Neto, pretende se movimentar nacionalmente. De olho também no governo da Bahia no pleito do ano que vem, Neto e o prefeito de Salvador, Bruno Reis, também do DEM, vão conversar com o presidente nacional do MDB, o deputado federal Baleia Rossi (RJ). Os emedebistas baianos condicionam o embarque no grupo petista na Bahia ao comando da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur) e da Conder.

Dificuldades

Buscar o apoio de Baleia Rossi não será tarefa fácil, avaliam correligionários de ACM Neto ouvidos pela coluna. Seria necessário contornar rusgas remanescentes da última eleição para a presidência da Câmara Federal, quando o ex-prefeito da capital liberou a bancada para votar em Baleia Rossi ou em Arthur Lira (PP-AL) – o segundo acabou sendo eleito com o respaldo tanto do DEM quanto do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Caso o MDB migre para a base de Rui Costa, a questão é como irão ficar alguns aliados de ACM Neto em Salvador, a exemplo do vereador Geraldo Júnior, que está filiado ao partido e pretende concorrer a uma cadeira de deputado federal.

Chamego antigo

Deputado Roberto Carlos em encontro com Paulo Azi (Foto: Reprodução/Instagram)

Para quem conhece de perto o deputado estadual Roberto Carlos (PDT), não causou estranheza a foto que circulou nesta quarta-feira (08) nas redes sociais em que o pedetista, que se diz aliado de primeira hora do governador Rui Costa, aparece em uma foto descontraída conversando sobre política com o presidente do DEM na Bahia, Paulo Azi. “Na eleição de 2020 para prefeito de Salvador, ele também subiu no palanque do atual prefeito Bruno Reis. Ele e o filho (Randersom Leal, que foi candidato a vereador na capital) apoiaram a oposição contra o PT”, lembrou um membro da Executiva estadual pedetista. O irônico é que Roberto Carlos pode deixar o PDT justamente por conta da possível aliança da sigla com o DEM.

Antes tarde que nunca

E por falar em PDT, finalmente o comando da legenda na Bahia decidiu punir o deputado federal Alex Santana e o deputado estadual Samuel Araújo por apoiarem publicamente o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). A militância pedetista vibrou quando o presidente estadual da sigla, Félix Mendonça Júnior, anunciou que abriu um processo de expulsão dos parlamentares, que sempre declararam apoio a Bolsonaro. Em conversa com a coluna, Félix disse que a demora se deu para aguardar uma mudança de postura dos dois, ou a saída deles por livre e espontânea vontade, e nada disso ocorreu. A Executiva nacional do PDT também deve pedir o mandato dos dois por infidelidade partidária.

O Robinho da Câmara

Colegas do vereador Luíz Carlos Suíca (PT) já brincam e dizem que ele é o Robinho (PP) da Câmara Municipal de Salvador, numa referência ao deputado estadual pepista que rompeu com Rui Costa. A brincadeira surgiu após as frequentes críticas do edil petista ao governador. Há uma semana, Suíca atacou contrato firmado pela Embasa com a empresa Primma para fazer higienização de copa e cozinha e dar suporte administrativo na sede da estatal em Salvador. “A empresa tem capital de giro de R$ 1 milhão e venceu uma licitação de mais de R$ 5 milhões”, frisou. Em entrevista à TV Câmara, o vereador também não aliviou nos comentários sobre a educação e a segurança pública no estado. “Nossa educação é a pior que tem, a violência cresce cada dia mais. Então precisamos de um projeto para tirar a gente desse lugar”.

Sem protesto

Os atos previstos para o 12 de setembro contra o presidente Jair Bolsonaro que uniria MBL, PDT e Novo não ocorrerão mais. A justificativa é a falta de adesão, segundo o coordenador estadual do MDL, Siqueira Costa Júnior. Os líderes do movimento deixaram claro que não queriam apoiadores nem de Lula nem de Bolsonaro nos eventos. Diante do possível fiasco na capital baiana, o MBL decidiu concentrar esforços em atos em Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro. Pelo cenário posto, fica desenhado que uma terceira via não terá vida fácil em terras baianas.

Bajulação

Um baiano que integra o governo do presidente Jair Bolsonaro avaliou as manifestações dessa terça-feira (7) em favor do mandatário da nação e considerou que o atual morador do Alvorada perdeu uma grande oportunidade. “O presidente não precisaria dizer que não cumpriria ordens do STF. Ele deu a munição que a oposição queria. Bastava defender a democracia, a independência e harmonia dos poderes”, considerou. Segundo ele, muitos bajuladores – que deveriam agir como assessores – só dizem o que o presidente quer ouvir e o incentivam a cruzar a linha do que é considerado “inteligente”.

A ponte de Leão

Leão exibe ponte entre Barra e Xique-Xique. (Foto: Reprodução/Instagram)

Enquanto não sai do papel a ponta Salvador-Itaparica, o vice-governador João Leão (PP) arranjou uma outra para “inaugurar”. Há quatro dias, Leão postou um vídeo no qual disse que estava no primeiro carro a atravessar a ponte entre Barra e Xique-Xique. “Cadê os que não acreditavam? Quando Leão diz que faz, modéstia à parte, faz”, disse o vice-governador. A ponte que liga o Oeste da Bahia à região de Irecê deve ser inaugurada até novembro. Nomes da base do governo comentaram que o pepista poderia esperar a obra ficar pronta, pois ainda faltam os acabamentos.

08 de setembro de 2021, 18:00

Compartilhe: