segunda-feira, 23 de maio de 2022

Rapidinhas: Time de Lula desfalcado, a Mater disputa e o juiz que não conhece o Luva

Foto: Reprodução/Instagram

Davi Lemos

Cononel não foi

Jerônimo Rodrigues até colocou a foto do senador Angelo Coronel no convite que fez, pelo Instagram, para a agenda de pré-campanha que teve em Alagoinhas, no sábado (30), mas o pessedista, que já havia deixado claro que não seria coordenador da campanha do petista ao governo, não compareceu mais uma vez ao encontro. Ainda no período das idas e vindas do PT para a definição de quais seriam os nomes do “time de Lula” para disputar a eleição estadual, Coronel reclamava que não era consultado pelos colegas; que ficava sabendo pela imprensa. E, agora, pelo jeito, o pessedista está mesmo preocupado é com seu mandato e com as campanhas dos filhos, Angelo e o deputado estadual Diego Coronel, que tentarão a Assembleia e a Câmara Federal, nesta ordem.

Reprodução/Instagram

As aspas de Jerônimo

Por falar em pré-campanha, Jerônimo Rodrigues aproveitou o feriado do Dia do Trabalhador para gravar uma peça que deve ser exibida em breve na TV ao lado do governador Rui Costa. “No Dia do Trabalhador, gravando ao lado daquele que virou sinônimo de ‘trabalho’ na Bahia”, escreveu Jerônimo, no Instagram. Foi o próprio pré-candidato do PT quem tascou as aspas em trabalho, ao se referir ao governador. Se a deputada Lídice da Mata não estivesse nesse momento preocupada com sua reeleição, poderia, se fosse a senadora do grupo com mandato até 2026, coordenar os trabalhos e conseguir indicar um marqueteiro que explicasse que as aspas, nesse tipo de aplicação, podem indicar dúvida e não ênfase na qualidade que se deseja destacar.

São Sidônio

O publicitário Sidônio Palmeira vai coordenar a campanha de Lula na tentativa do petista retornar à Presidência da República. O principal desafio do marqueteiro baiano, dizem petistas e aliados, é segurar a boca de Lula, que já criticou de valores evangélicos a gastos da classe média e já defendeu até o aborto. As falas causaram a queda de Augusto Fonseca, mas ainda há reticência de que o presidenciável petista mudará algo: neste final de semana Lula criticou policiais; depois corrigiu-se e ressaltou que queria falar de milícias, numa tentativa de atacar Bolsonaro. “Você pode escalar o melhor técnico, mas se o craque for indisciplinado a gente pode não ganhar essa Copa”, comentou um aliado do petista na Bahia.

Reprodução/Twitter

É Luva de Pedreiro, Sr. Juiz

Quem está ainda um pouco desorientado é o ex-ministro da Justiça, ex-juiz federal e ex-presidenciável, Sérgio Moro (União Brasil). Ao comentar que Lula não foi inocentado nem pelo STF nem pela ONU, em post realizado no sábado (30), no Instagram, Moro usou a expressão “receba”, mas errou feio o gol ao se referir a quem tornou a expressão mundialmente famosa: “Então, não adianta dissimular. É como diz aquele rapaz: receba”. O nome do rapaz é Iran Ferreira, baiano de Quijingue, doutor Moro, o famoso Luva de Pedreiro que, somente no Instagram, passou de 13,1 milhões de seguidores. Moro, como toda história na Lava Jato e combate ao Petrolão, tem 2,5 milhões. Aí caberia um “receba” do Luva.

Disputa no Mater Dei

A badalada inauguração do Hospital Mater Dei, no domingo (1º), foi marcada pela disputa de narrativas entre ACM Neto e Bruno Reis contra o governador Rui Costa. Os grupos antagônicos chegaram no mesmo instante ao hospital – Neto, acompanhado por Bruno e pelo ex-senador ACM Júnior, foram pela direita; Rui, que chegou com Jerônimo Rodrigues e Geraldo Jr, pegou o caminho da esquerda. Quando se encontraram no palco, a disputa de narrativas, com ápice para a gafe de Bruno que chamou Rui de “ex-governador”. Um dos comentários que se ouvia da plateia: “político não perde tempo”.

Bolsonaro x Lula

O Dia do Trabalhador foi marcado pela disputa entre os apoiadores de Lula e de Jair Bolsonaro, que buscaram lotar manifestações para suas lideranças em todo o país. Salvador não fugiu da pauta nacional e teve boas presenças de público tanto no Jardim de Alah, onde se reuniram os bolsonaristas pela manhã, quanto no Farol da Barra, onde estiveram os petistas e aliados no período da tarde e da noite. Na fala de bolsonaristas, a reeleição do presidente significa manutenção de liberdades; para os petistas, a vitória de Lula será o fim de um período “golpista” iniciado com a queda de Dilma, em 2016. Em outubro os brasileiros decidirão; atualmente as pesquisas mostram Lula e Bolsonaro tecnicamente empatados.

Quórum da Câmara

A missão inglória da oposição na Câmara Municipal de Salvador será garantir quórum seja para a abertura das sessões ordinárias seja para a realização de comissões permanentes, das quais somente as cinco mais importantes foram instaladas. Geraldo Jr. diz que os governistas levam para a Casa a disputa eleitoral estadual, como afirmou no domingo (1º), em entrevista ao Toda Bahia. Os governistas acusam o presidente do mesmo – e de atropelar o regimento da Casa, tanto que judicializaram a reeleição de Geraldo e as escolhas dos membros dos colegiados permanentes. Não deve faltar confusão na Câmara, mas as sessões serão raras, projeta-se.

02 de maio de 2022, 16:48

Compartilhe: