quarta-feira, 24 de abril de 2024

Justiça dá 48h para Google remover declaração de Genoino sobre judeus

Foto: Reprodução

Da Redação

O desembargador Carlos Eduardo da Fonseca Passos, do TJ-RJ, deu prazo de 48 horas para que o Google (Youtube) retire do ar trecho do vídeo em que o petista José Genoino diz em uma entrevista ao Diário do Centro do Mundo, em janeiro, que seria “interessante” boicotar empresas de judeus.

O jornalista Lauro Jardim, colunista do jornal O Globo, informa que, caso o vídeo não seja removido, a empresa pode ser multada em R$ 100 mil. Na declaração, Genoino diz:

— Essa ideia do boicote por motivos políticos que ferem interesses econômicos é uma forma interessante. Inclusive, tem esse boicote em relação a determinadas empresas de judeus. Há, por exemplo, boicotes a empresas vinculadas ao Estado de Israel. Inclusive, acho que o Brasil deveria cortar relações comerciais na área de segurança e defesa com o estado de Israel.

O desembargador atendeu a pedido da Federação Israelita do Estado do Rio de Janeiro, movido pelos advogados Ana Carolina Melman e Marcelo Levitinas. Jardim explica que ele entendeu que a “manutenção da declaração em plataforma gratuita de vídeo online é suscetível de gerar dano grave irreparável, dado o acesso livre e continuado por quantidade indeterminada de usuários a conteúdo ofensivo e discriminatório”.

O colunista destaca que, à época das declarações, até mesmo a cúpula do PT repreendeu o ex-presidente da legenda considerando um “erro” ter entrado em um tema tão espinhoso como esse.

29 de fevereiro de 2024, 07:30

Compartilhe: