segunda-feira, 23 de maio de 2022

Rapidinhas: O “chega pra lá” dos bolsonaristas em Aleluia, Republicanos mais perto de Neto e o cerco a Nilo

Foto: Antonio Queiroz

Da Redação

Aleluia toma rasteira

O vereador de Salvador Alexandre Aleluia não conseguiu os apoios necessários para ficar com a presidência estadual do PL após o pedido de desfiliação e renúncia ao cargo do ex-deputado federal José Carlos Araújo. Bolsonaristas filiados ao partido rejeitaram o nome do edil, que já foi aliado do ex-prefeito de Salvador ACM Neto (União Brasil). O chefe nacional da legenda, Valdemar Costa Neto, colocou interinamente no comando estadual a pecuarista Kátia Bacelar. Irmã do deputado federal Jonga Bacelar (PL), ela conta com o apoio de Raissa Soares (PL), ex-secretária de Saúde de Porto Seguro e pré-candidata a senadora, para permanecer no posto, que também pode ser entregue ao ministro da Cidadania, João Roma, caso o mesmo saia do Republicanos para concorrer a governador.

Marinho, o mineirinho

Por falar no Republicanos, o partido está bem próximo de anunciar o apoio à pré-candidatura de ACM Neto ao governo da Bahia, apesar de ainda brigar pelo direito de indicar o nome a vice na chapa netista. Presidente da sigla no estado, o deputado federal Márcio Marinho demonstra cada vez mais disposição de ocupar o posto, embora adote a política do mineirinho que vai comendo pelas beiradas. Marinho já tem um substituto para concorrer a deputado federal caso participe da chapa majoritária: o secretário de Infraestrutura de Salvador, o vereador licenciado Luiz Carlos, que ainda prefere a presidência da Câmara Municipal.

ACM Neto, João Coelho e Marcelo Nilo (Foto: Reprodução/Instagram)

Operando em alta

Quem também quer ser vice de ACM Neto é o deputado federal Marcelo Nilo (sem partido), embora tenha garantido que não ficará aborrecido se não for o escolhido. O parlamentar tem tido frequentemente encontros reservados e públicos com o ex-prefeito da capital. Procurando demonstrar força, ele levou, na semana passada, dois pré-candidatos a deputado federal para uma visita ao escritório do postulante a governador: João Coelho, de Itapetinga, e Joyuson Vieira, de Utinga. Nilo ainda negocia a filiação ao Republicanos, mas frisou que vai para onde ACM Neto quiser. Resta saber se ele também vai cantar o jingle do arqui-inimigo ACM, o avô, como tem feito o vice-governador João Leão (PP).

O cerco a Nilo

Aliás, Marcelo Nilo conseguiu unir contra ele todos os políticos desejosos em ocupar a vaga de vice na chapa de ACM Neto. Marcio Marinho, o ex-prefeito de Feira de Santana José Ronaldo de Carvalho (União), o prefeito de Mata de São João, João Gualberto (PSDB), e o deputado federal Félix Mendonça Júnior (PDT), que já era desafeto de Nilo, não aceitam que Neto coloque outro adesista na chapa e prometem reagir caso isso aconteça.

PDT retraído

O PDT baiano, por exemplo, se retraiu nas negociações com ACM Neto. Quem vai tentar destravar as conversas é o presidente nacional do partido, Carlos Lupi, que vem a Salvador para uma conversa com o ex-prefeito da capital até o final desta semana. Existe a possibilidade real de o partido encerrar as tratativas com o União Brasil no estado.

Rui de olho

Quem acompanha atentamente as indefinições na escolha do vice de ACM Neto é o governador Rui Costa (PT). Pode ser, inclusive, que o petista aguarde mais tempo para definir quem será o postulante a vice do secretário da Educação, Jerônimo Rodrigues, pré-candidato do PT ao Palácio de Ondina. A ideia é tentar atrair o PDT e/ou o MDB. Sondagens já têm sido feitas e prometem se intensificar.

Deputado federal Cláudio Cajado (Foto: Câmara dos Deputados)

De Bolso-Rui a Bolso-Neto

Antes da definição do desembarque do PP da base do governador Rui Costa, houve uma clara divisão entre os quatro progressistas baianos com cadeiras na Câmara dos Deputados. Enquanto Cacá Leão e Cláudio Cajado fustigavam pelo rompimento, Mário Negromonte Júnior e Ronaldo Carletto tentavam ponderar, esfriar os ânimos de João Leão. Ao final, durante o anúncio do rompimento, até chamou a atenção o fato de Cajado estar ao lado do vice-governador. Como dizem colegas de bancada, o deputado passou mesmo de Bolso-Rui para Bolso-Neto.

Nacionalização

A base de ACM Neto não tem apreciado as pesquisas de opinião que colocam os postulantes ao Palácio de Ondina com o apoio de presidenciáveis. Para os aliados do ex-prefeito, é uma “forçação de barra” para beneficiar a pré-candidatura petista agora firmada com a escolha de Jerônimo Rodrigues. Nesta segunda, em entrevista à TV Band Bahia, Neto apontou que podem aparecer muitas “pesquisas fake” que forçam para uma nacionalização do pleito que, segundo ele, e para o interesse dele, não deve ocorrer.

Quem é?

O candidato é apresentado como homem simples do interior, que lutou, estudou, conquistou pela educação os cargos que ocupou como professor e também em pastas de governos. De quem se estaria falando? Segundo um comentarista da cena política baiana e brasileira, poderia ser tanto Sérgio Moro (Podemos), pré-candidato à Presidência, quanto o pré-candidato do PT ao governo baiano, Jerônimo Rodrigues. “O marketing de ambos trabalha com a mesma estratégia, mas não sabemos se isso cola”, comentou o analista.

Rabo preso

Ricardo Maia, ex-prefeito de Ribeira do Pombal, fez na semana passada um discurso inflamado em Ribeira do Pombal, município do nordeste baiano, e, sem citar nomes, embora todos tenham entendido para quem era o recado, atacou um deputado federal adversário que faz política na cidade (veja o vídeo abaixo). O ex-gestor acusou o tal parlamentar de fazer negociatas envolvendo emendas no Congresso, de apoiar um genocida (no caso, o presidente Jair Bolsonaro) e de votar contra os trabalhadores. O irônico é que Maia, que pretende concorrer a deputado federal no pleito deste ano, está na lista dos inelegíveis do Tribunal de Contas da União (TCU) em função da não comprovação da “boa e regular aplicação de recursos federais” recebidos para a área do transporte escolar. O ex-prefeito também tem pendências no Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). Confira vídeo:

21 de março de 2022, 17:58

Compartilhe: