quinta-feira, 28 de outubro de 2021

Rapidinhas: O poder de Elmar, a decepção de Otto e a antipatia de Colbert

Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Davi Lemos

Elmar presidente

O deputado federal Elmar Nascimento, parlamentar baiano com um grau de influência elevado na Câmara e junto ao governo federal, sobretudo no que se refere à liberação de emendas orçamentárias, ficará ainda mais poderoso após a fusão entre o partido dele, o DEM, e o PSL. Isso porque está sacramentado que o político natural de Campo Formoso será o presidente da sigla que nasce com a maior bancada da Câmara, com 81 parlamentares. O atual presidente do DEM baiano, o deputado federal Paulo Azi, já se conformou com a decisão.

Sem baixas federais

Elmar Nascimento e as principais lideranças do DEM baiano trabalham para que o novo partido oriundo da fusão com o PSL não sofra a perda de deputados federais na Bahia, a exemplo do que deve ocorrer em outros estados. O primeiro tem cinco federais no estado (Paulo Azi, Elmar Nascimento, Leur Lomanto Júnior, Arthur Maia e Igor Kannário) e o segundo tem uma (Dayane Pimentel). Já na Assembleia Legislativa da Bahia, são esperadas as saídas dos deputados Capitão Alden e Talita Oliveira, ambos do PSL. Os dois pretendem apoiar a reeleição do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), caminho que não deve ser seguido pela nova legenda.

Neto de secretário-geral

Nacionalmente, o que se especula é que o novo partido terá como comandante o atual presidente do PSL, Luciano Bivar. ACM Neto, que preside o DEM no Brasil, será o secretário-geral, cargo que tem muito mais peso do que a vice-presidência. “Cabe ao secretário-geral fazer toda a organização partidária, mantendo contato permanente com as direções regionais e fazendo de fato as coisas acontecerem, com peso nas decisões sobre a distribuição do fundo partidário, que será bem gordo. É um cargo que exige bastante habilidade política”, disse um deputado demista à coluna.

Otto está triste com o desempenho em votação popular

Decepção de Otto

O senador Otto Alencar (PSD) estava crente que “mitou” com suas atuações na CPI da Pandemia, prestes a ser encerrada no Senado Federal. Por isso, andou se queixando a assessores sobre quais seriam os motivos pelos quais não aparece bem pontuado no prêmio Congresso em Foco, que, por votação popular, aponta os melhores parlamentares das duas Casas legislativas. Na parcial mais atual, o político baiano aparece atrás de vários outros membros da CPI, a exemplo de Randolfe Rodrigues (Rede-AP), que lidera, Humberto Costa (PT-PE), Simone Tebet (MDB-MS) e Alessandro Vieira (Cidadania-SE). Otto, por sinal, também está bem atrás do senador Jaques Wagner (PT), que não integra a comissão, na votação.

Miss antipatia

Já deu para notar que o prefeito de Feira de Santana, Colbert Martins (MDB), não goza da simpatia do presidente do Câmara Municipal da Princesa do Sertão, Fernando Torres (PSD). Mas o emedebista também não está “bem na fita” com o vereador Geraldo Júnior (MDB), presidente do Legislativo da capital baiana. Em conversa com o vereador de Salvador Henrique Carballal (PDT), na última sessão plenária, Geraldinho levantou dúvidas sobre a filiação de Colbert ao MDB. “Acho que ainda não encaminhou o pedido de desfiliação ao partido. Como é mesmo o nome do prefeito?”, questionou o edil.

Chapa

A bronca de Geraldo Júnior com Colbert Martins reside no fato de o prefeito de Feria, segundo relato de Henrique Carballal, ter cobrado da direção do MDB baiano as composições das chapas que ele apoiaria ou não em 2022. “Nem sabia que o prefeito Colbert Martins era do MDB, porque eu gostaria de saber se ele apoiou alguém do partido na eleição anterior”, provocou Carballal. O pedetista citou o fato de o prefeito não ter conseguido eleger nenhum deputado federal em sua base, nem aparenta ter, como avaliou, compromisso com os ideais do partido.

Adeum e a charge

Charge que culminou na demissão de Adeum em 2009

A morte trágica do ex-secretário de Educação da Bahia Adeum Sauer, ocorrida no sábado (18), trouxe à memória a demissão, em 2009, da pasta que ele comandava durante o primeiro governo de Jaques Wagner (PT). Adeum era alvo de críticas desde o primeiro ano da gestão petista, quando, dentre outros problemas, enfrentou greve de 55 dias dos professores, ainda em 2007, e uma paralisação de terceirizados, em 2009, que reclamavam de salários atrasados. Mas a queda do secretário ocorreu por conta de uma charge com o personagem Chico Bento na revista Viva!, patrocinada pela secretaria. Um menino diz a Chico Bento: “Meu pai tem oitocentas cabeças de gado!”. Bento responde: “Fala para ele enfiar tudo no cu!”. No governo, o comentário foi que o ex-secretário caiu por algo que não era culpa dele.

Joceval Rodrigues visita Conquista de olho em 2022

Apoios no sudoeste

O presidente estadual do Cidadania, vereador Joceval Rodrigues, está animado com a viagem que realizou a Vitória da Conquista. Rodrigues vai disputar uma vaga na Câmara Federal em 2022 e foi buscar apoios na região, não somente na base da Igreja Católica. Ele fechou parceria com a secretária de Governo do município, Geanne Oliveira, que coordenará o partido na região, e também com o secretário de Cultura, o cantor Xangai. Joceval ainda trabalha para viabilizar a visita do pré-candidato do partido à Presidência, Alessandro Vieira, à Bahia.

Silêncio de Alice

Causou estranhamento a falta de um posicionamento mais contundente da presidente da Comissão de Cultura da Câmara Federal, a deputada baiana Alice Portugal (PCdoB), sobre a decisão do banco Itaú de fechar o Cine Glauber Rocha, na Praça Castro Alves, em Salvador. A parlamentar se limitou a fazer uma postagem nas redes sociais lamentando o anúncio, que, segundo ela, é um “reflexo das dificuldades enfrentadas pelo setor”. Nenhuma sinalização sobre a realização de uma audiência pública ou convite oficial para que o Itaú explique porque, ao mesmo tempo em que comunicou o fechamento do espaço cultural em Salvador, manteve equipamentos semelhantes abertos em outras capitais.

Desleal?

Durante o lançamento das pré-candidaturas das advogadas Daniela Borges e Christiane Gurgel à presidência e vice-presidência da OAB-BA, um dos pontos principais nas falas dos aliados da atual gestão da Ordem na Bahia era “lealdade”. “Lealdade anda de mãos dadas com a gratidão”, disse Luiz Viana Queiroz, ex-presidente da seccional baiana e atual vice-presidente nacional da entidade. As indiretas, segundo os presentes, tinham um endereço certo: a atual vice-presidente na OAB-BA, Ana Patrícia Leão, que se lançou candidata na oposição.

Censurada?

Ana Patrícia Leão, por sinal, vem reclamando do silenciamento em eventos oficiais na OAB no estado. Em vídeo postado no domingo (19), no Instagram, ela escreveu que não pôde falar durante inauguração da sede da subseção de Lauro de Freitas, que contou com presença de Luiz Viana e Fabrício Castro, atual presidente da instituição na Bahia. Em outro vídeo, Ana Patrícia lançou indireta contra Daniela Borges e Christianne Gurgel, que são docentes na Ufba e na Ucsal, respectivamente. Disse que era “advogada raiz” e não ficava no conforto do ar-condicionado das salas de aula. Pouco depois, com a repercussão negativa, disse que respeitava o trabalho dos advogados que são também professores.

FAB faz teste contra tsunami

Tsunami baiano

Os comentários – na maioria das vezes em tom de brincadeira – sobre o tsunami que poderia atingir a costa baiana em virtude da erupção do vulcão Cumbre Vieja, nas Ilhas Canárias, geraram também questionamentos sobre o preparo do Brasil para enfrentar uma catástrofe como essa. Na página da Força Aérea Brasileira (FAB), há, porém, um registro de treinamento em cenário de tsunami realizado entre 6 e 9 de setembro, na Colômbia. Aí então surge outra questão: se fosse uma hipótese tão remota assim, os militares realizariam tal tipo de treinamento?

A malhação e a candidatura

“Semana fitness iniciada com sucesso! Vamos ver se ela termina”, escreveu o deputado federal Cacá Leão (PP) nesta segunda-feira (20) no Instagram. Felipe Manassés comentou na publicação: “Não está muito animado”, provavelmente referindo-se ao rosto sério de Cacá após a malhação. Comentaristas mais maldosos disseram que a semana fitness do filho do vice-governador João Leão (PP) pode ser como a pré-candidatura do pai ao governo em 2022: “pode não chegar até sexta”.

20 de setembro de 2021, 15:12

Compartilhe: