segunda-feira, 18 de outubro de 2021

Inovar & Empreender: Estudantes baianos desenvolvem app para mapear áreas de risco

Foto: Renato Araújo/Agência Brasília

Carlos Macedo

Drones, satélites e áreas de risco

Da esq. a dir. Pedro Tozzi, Pedro Fiuza e Luiz Passos, que, juntos com Pedro Antunes, integram a Voyager2021

Como noticiado na semana passada nesta coluna, um grupo formado por estudantes de administração da Ufba vai representar a Bahia na etapa mundial do Nasa Space Apps Challenge, considerado o maior hackathon do mundo. Os integrantes da equipe Voyager2021 ficaram em terceiro lugar na competição, com o desenvolvimento de um app para mapear as áreas de riscos, com o diferencial de fazer uma coleta de dados integradas. O objetivo principal é contribuir com autoridades e órgão competentes para a realização de ações preventivas. Confira a entrevista concedida por Pedro Tozzi, um dos membros da equipe.

Coluna – Como surgiu a ideia para desenvolvimento do app?

Pedro Tozzi – Fizemos o Hackaton da Nasa e tivemos que escolher um desafio para propor uma solução. Nosso desafio envolvia o uso de satélites e drones para o desenvolvimento urbano e, a partir disso, pensamos em um problema atual. O problema que escolhemos foram os deslizamentos de terra. Ao pesquisar sobre o tema, percebemos que já existiam muitos dispositivos para coleta de dados, mas eles não eram integrados. Por isso, nossa ideia foi integrar dispositivos de solo e dados de satélite, atuando exatamente onde existe uma falha.

Coluna- De que forma o app de vocês funciona na prática?

PT – O nosso aplicativo terá a função de integrar as informações coletadas por dispositivos no solo, como pluviômetros e sensores de deslizamento, junto às informações disponibilizadas pelos satélites que utilizaremos. Com essas informações será possível mapear as áreas de riscos para uma maior atenção e quando existir uma alteração no padrão natural do solo nosso aplicativo irá identificar e comunicar para os órgãos competentes e moradores daquela localidade que se encontra em risco, através de SMS e push, além de alertas sonoros manualmente instalados. Dessa forma, esperamos otimizar a comunicação e a evacuação dessas áreas, de modo a evitar maiores tragédias.

TB – Como você avalia o campo para inovação em Salvador? O que melhorou e o que ainda pode melhorar?

PT – Nos últimos anos existem pessoas e organizações que se esforçam para incentivar a inovação em Salvador. Porém, na maioria das vezes, essas pessoas e organizações estão limitadas a faculdades e projetos específicos, não difundindo o campo para outras áreas da sociedade. Seria interessante existirem projetos e maratonas na escola, tanto pública quanto particular, para criar um contato com a inovação desde cedo.

TB – Qual a expectativa de representar a Bahia na etapa mundial da competição?

PT – É uma sensação única para nós, pois é uma honra poder representar nosso estado na etapa mundial dessa maratona. Nós já estamos muito contentes com o nosso desempenho na competição, mas queremos ir mais longe. Portanto, a expectativa é a melhor possível para que possamos colocar a Bahia mais uma vez no topo.

Startup baiana é única do Nordeste no Vedacit Labs

A startup baiana MyCond foi selecionada entre mais de 200 inscritas, de sete países da América Latina, para participar do quarto ciclo do Programa de Inovação Aberta, Vedacit Labs. A empresa é a única do Nordeste e está entre as quatro escolhidas somando com startups de Santa Catarina e Porto Alegre.

O Vedacit Labs é a área de Pesquisa e Desenvolvimento da Trutec, primeiro hub de soluções que conecta startups para transformar a indústria da construção civil por meio da tecnologia.

A startup baiana desenvolveu um sistema para gestão de condomínios, a partir da criação de apps com a marca própria para empresas condominiais. O app ajuda as empresas a vender no mundo digital, aumentar a competitividade e evitar perdas de contratos nas mudanças de síndico.

Quinto Andar, iFood e Méliuz no Programaê

Uma iniciativa do governo da Bahia, em parceria com a startup Digital Innovation One, está disponibilizando 30 mil vagas em cursos gratuitos nas áreas de empreendedorismo, startups e tecnologia. É o Programaê, que traz capacitações com participações de nomes como o CEO da startup Quinto Andar, Gabriel Braga, o fundador do iFood, Patrick Sigrist, e o CEO da startup Méliuz, Israel Salmen.

Os interessados devem acessar o site da Secti (clique aqui) para realizar a inscrição nos cursos que se encaixem em seus respectivos perfis. Após se inscrever, o conteúdo fica disponível imediatamente para o aluno.

‘Figital’

Se você atua na área de vendas, provavelmente já ouviu falar do “figital”. Esse é o novo termo utilizado por especialistas em vendas para se referir à soma das lojas física e digital. Isso porque, dizem os especialistas, uma não anula a outra, e, mais do que isso, uma deve complementar a outra.

Que o diga o especialista Ricardo Rocha, responsável pela implantação do Parceiro Magalu, na rede Magazine Luiza. Segundo ele, os donos de pequenos negócios experimentaram, durante a pandemia, um aumento expressivo dessa demanda digital e da entrega em casa.

“O empreendedor precisa, agora, organizar o seu negócio para atender esse consumidor que se tornou ‘figital’ de vez. É um consumidor que vai na loja física, mas também está presente no canal digital e, agora, ele quer conveniência na parte de entrega”, explicou Ricardo, durante evento com empreendedores de Feira de Santana.

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Varejo se segura

Após seis meses de altas consecutivas, o comércio baiano registrou, em agosto, retração nas vendas de 4,5% comparado com igual período de 2020. Mesmo assim, o faturamento de R$ 9,2 bilhões se manteve 4,3% acima quando comparado com agosto de 2019. Os números são da Fecomércio-BA, com base nos dados da Pesquisa Mensal do Comércio, do IBGE.

Os três setores que apresentaram faturamento abaixo do obtido em 2019 são: grupo Outras Atividades (-10,5%), Vestuário, tecidos e calçados (-8,6%) e Supermercados (-0,4%). No campo positivo, quem lidera, em termos de variação, é o setor de materiais de construção com alta anual de 26,8%, seguido de vendas de veículos e motos, 16,9%.

Outras elevações nas vendas foram de: farmácias e perfumarias (10,1%), mesma variação para eletrodomésticos e eletrônicos (10,1%) e móveis e decoração (6,7%).

Alta tímida na indústria

A produção industrial baiana registrou uma alta de 0,3% em agosto, em relação ao mês de julho, conforme os números divulgados pelo IBGE. Em sete dos 15 locais pesquisados, houve registro de queda na comparação entre os meses. O recuo nacional chegou a de 0,7%.

Já em comparação com o período pré-pandemia, a Bahia ainda registra uma queda de 13,8% na produção da indústria. Nesse comparativo, o maior recuo foi registrado na região Nordeste (-17,2%).

Foto: Dario G. Neto/ASN Bahia

Semana Sebrae registra mais de 24 mil inscrições

A Semana Sebrae de Capacitação Empresarial, encerrada na última sexta-feira (8), registrou mais de 24 mil inscrições, entre as programações online e presencial. A programação presencial aconteceu em mais de 90 municípios do estado, com conteúdos focados no processo de retomada das vendas por parte dos pequenos negócios.

Os 158 eventos presenciais realizados registraram, ao todo, 17.023 inscrições, segundo dados do Sebrae Bahia. Já os 23 eventos online registraram 7.360 inscrições. No site da Semana Sebrae, foram ainda registrados 11.499 downloads de conteúdos disponibilizados sobre o tema principal abordado pelo evento em 2021.

Prefeitos empreendedores

Falando em Sebrae, a instituição lançou mais uma edição do Prêmio Prefeito Empreendedor, em parceria com a União dos Municípios da Bahia (UPB). A iniciativa é focada em gestores municipais que tenham implantado projetos com resultados comprovados de estímulo ao surgimento e desenvolvimento de pequenos negócios e à modernização da gestão pública. As inscrições podem ser feitas no site do prêmio (clique aqui) .

São nove categorias: Desburocratização, Sala do Empreendedor, Compras Governamentais, Empreendedorismo na Escola, Marketing Território e Setores Econômicos, Inovação e Sustentabilidade, Governança Regional e Cooperação Intermunicipal e Cidade Empreendedora.

Cada município pode inscrever até dois projetos, em duas categorias diferentes, ou submeter a mesma iniciativa em duas categorias diferentes.

14 de outubro de 2021, 13:43

Compartilhe: