sábado, 22 de janeiro de 2022

Jau é impedido de entrar em restaurante na Barra e denuncia racismo; Estabelecimento diz que cantor não seguia ‘dress code’

Foto: Reprodução

Da Redação

O cantor Jau denunciou um ato de racismo cometido por funcionários do Sette Restaurante, localizado no bairro da Barra.

O artista afirma que ele e sua equipe foram impedidos de entrar no estabelecimento. O motivo, segundo o próprio restaurante, seria o fato de Jau não estar vestido de acordo com o ‘dress code’ do local.

“Minha gente, com toda humildade do planeta terra, eu acho que um cidadão vestido dessa forma pode entrar em qualquer ambiente, independentemente da cor dele. Vestido dessa forma só pode ser barrado no ambiente se houver algum problema racial, se houver algum problema de índole ou se houver algum problema com essa pessoa, que não é meu caso, eu ainda sou artista da terra. Eu fui no restaurante Sette, fui barrado, impedido de entrar porque estava vestido assim”, relatou.

“Não era a indumentária. Faltava-me talvez olhos azuis e cabelos louros. Não os tenho, não culpo quem os tem, não os quero ter, mas preciso da minha liberdade de ir e vir. E hoje o restaurante Sette foi preconceituoso comigo e com minha equipe não deixando a gente adentrar o espaço. Não é um lugar democrático, não é um lugar frequentável, é um lugar racista”, concluiu o cantor.

Uma nota emitida pelo restaurante Sette na manhã de hoje nega qualquer ato de racismo, e reiterou que “não há impedimento legal para que bares e restaurantes privados estabeleçam seus códigos de vestimenta (ou dress code), desde que o deixem claro na entrada do estabelecimento, sites e mídias sociais, de modo que o consumidor possa ser previamente informado”. Uma placa na frente do estabelecimento cita essas normas.

A nota diz ainda que o restaurante “abomina qualquer ato racista ou discriminatória, prezando por sua conduta democrática e inclusiva, e reforça que apenas existe um dress code para ingresso na casa.”

03 de dezembro de 2021, 11:44

Compartilhe: