quarta-feira, 24 de abril de 2024

Rapidinhas: O coordenador de Geraldo Júnior, o tucano intrometido, a PEC de Rosemberg e o racha petista em Serrinha

Foto: Divulgação

Alberico Gomez e equipe

O coordenador de Geraldo Júnior

* Caberá ao conselho político do governador Jerônimo Rodrigues (PT) a definição de quem será o coordenador da campanha do vice-governador Geraldo Júnior (MDB) ao Palácio Thomé de Souza. Um dos nomes cotados pelo emedebista é o do presidente da Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM), o vereador licenciado Henrique Carballal (PDT), que não vai disputar a eleição proporcional em outubro.

* A coluna apurou, no entanto, que Carballal não estaria disposto a aceitar abrir mão do comando da CBPM para assumir a coordenação política da campanha de Geraldo Júnior. O presidente da CBPM, por sinal, é um dos maiores defensores de que a vice do emedebista seja a secretária estadual de Assistência e Desenvolvimento Social, Fabya Reis.

* Um deputado estadual da base de Jerônimo revelou à coluna que a tese sustentada por Carballal é a mesma do MDB e da maioria dos partidos da base de Jerônimo. “Se a vice de Geraldo Júnior não for do PT será uma sinalização clara de que os petistas jogaram a toalha na disputa eleitoral na capital”, avaliou o parlamentar.

* Quem ameaça jogar a toalha da campanha majoritária em Salvador são os vereadores do PT. Tirando Arnando Lessa, cuja reeleição é a mais difícil entre os edis petistas, os outros três – Marta Rodrigues, Tiago Ferreira e Luiz Carlos Suíca – estão desanimados com o ritmo da pré-campanha de Geraldo Júnior.

* Já do lado do prefeito Bruno Reis (União), candidato a reeleição, ninguém discute quem será o coordenador político da campanha. O próprio antecessor, ACM Neto (União), já disse que o papel caberá ao próprio chefe do Executivo municipal. Sobre a vice, o presidente do PSDB da Bahia, deputado Tiago Correia, disse na semana passada, durante a visita a Salvador do comandante nacional da legenda, Marconi Perillo, que promete se intrometer na questão. Em 2022, quando isso aconteceu, todo mundo viu no que deu.

Assembleia vota PEC da Reeleição

* Conforme antecipado pela coluna na semana passada, o líder do governo na Assembleia, deputado Rosemberg Pinto (PT), confirmou que será votada nesta terça-feira (19) a PEC da Reeleição na Casa. O petista considera que a proposta não beneficia o atual presidente Adolfo Menezes (PSD). “O texto faz apenas uma adequação ao que entende o Supremo Tribunal Federal (STF). Não garante uma nova reeleição do meu amigo Adolfo”, disse.

* Na Assembleia, no entanto, não há quem duvide de que Adolfo Menezes vai partir para a segunda reeleição, independentemente do que entende o STF, que proibiu o segundo mandato consecutivo a partir de um marco temporal do qual o atual presidente do Legislativo estadual está fora. Tanto que a briga do momento é para definir será o vice-presidente imediato. Há quem diga que o deputado Niltinho (PP) leva vantagem nessa briga. Vale lembrar que, a princípio, a eleição é só em fevereiro de 2025.

* No PSD, o sentimento é de que o senador Otto Alencar prefere que Adolfo desista da ideia da segunda reeleição para evitar problemas com o STF. O cacique deseja que a próxima presidente da Assembleia seja a deputada Ivana Bastos, do partido, conforme acordo prévio. A parlamentar, no entanto, ainda não tem apoios suficientes na Assembleia, onde o atual comandante do Poder reina absoluto.

Movimentos do interior

* O PT segue dividido em Serrinha. Mesmo com o anúncio do secretário estadual de Desenvolvimento Rural, Osni Cardoso, ex-prefeito do município, de que apoiará a candidatura majoritária do ex-deputado Gika, outro petista, Sandro Magalhães, manteve o nome no páreo. O racha foi aberto.

* O PDT agora tem dois pré-candidatos à Prefeitura de Itabuna: Doutor Isaac Nery, que acabou de se filiar à legenda, e o ex-prefeito Capitão Azevedo. Ambos ingressaram no ninho pedetista por articulação do ex-deputado federal José Carlos Araújo, secretário-geral da legenda na Bahia.

* Presidente da Câmara Municipal de Cruz das Almas, Thiago Chagas (MDB) conseguiu reunir o apoio do PDT para entrar na disputa pela Prefeitura em outubro. O martelo foi batido na semana passada. Ele já contava com o respaldo do Solidariedade, Avante e PSDB.

18 de março de 2024, 18:04

Compartilhe: