quinta-feira, 29 de fevereiro de 2024

Rapidinhas: O santo que foi vestido para a eleição, o camaleão de Conquista, o tempo de Roma e o rompimento de mentirinha

Foto: Divulgação

Alberico Gomez e equipe

* Se vale até mudar cor de santo, imagina de lado* Pré-candidato a prefeito de Camaçari, o vereador Flávio Matos (União) tomou a liberdade de mudar a cor do padroeiro da cidade, São Thomaz de Gantuária, pensando nas eleições de 2024. Ele publicou nas redes sociais um convite para a festa religiosa, que aconteceu neste domingo (07), com a imagem do santo toda em azul, em sintonia com a comunicação visual da pré-campanha. O motivo? A imagem de São Thomaz é reconhecida pela vestimenta vermelha, a mesma cor do PT.

* Ao ser chamado de pecador nas redes sociais, Flávio Matos fez o que se esperava dele, como bom cristão que é: deletou a publicação e aplicou uma nova, desta vez com o santo e a indumentária vermelha tradicional. Mas o provável adversário do vereador no pleito, o secretário de Relações Institucionais, Luiz Caetano (PT), já tinha espalhado para Deus e o mundo a mancada.

* E o que dizer do ex-reitor da Uesb, Abel Rebouças, que de suplente do senador Otto Alencar (PSD) passou a aliado da prefeita de Vitória da Conquista, Sheila Lemos (União)? Para quem chegou a ter o nome cogitado por Otto a entrar na disputa pela Prefeitura da maior cidade do Sudoeste baiano, em 2020, o professor ensinou como se muda de lado rapidinho.

* Em Cruz das Almas, quem mudou de lado foi o vice-prefeito André Eloy, que trocou o PDT pelo PSD – e também o grupo do ex-prefeito ACM Neto (União), a quem jurava amores, pelo do governador Jerônimo Rodrigues (PT). Nem deu satisfação!

* Já na primeira capital do Brasil, o prefeito Bruno Reis (União) decidiu, do nada, em um evento na semana passada, chamar indiretamente o vice-governador Geraldo Júnior (MDB) de “lá e lô”, ou seja, de político que muda de lado ao sabor do vento. Entre os aliados do gestor municipal quase ninguém entendeu nada, afinal qual o sentido em bater gratuitamente em quem ainda aparece tão distante nas pesquisas?

* Ainda sobre mudar de lado, a treta está armada no PL. O deputado estadual Leandro de Jesus disse na semana passada, em uma rádio do interior, que o companheiro de Assembleia Raimundinho da JR deveria deixar o partido por apoiar o governador Jerônimo Rodrigues (PT). O estranho é que Jesus não citou na mesma conversa o deputado estadual Vitor Azevedo, colega de legenda que também está na base do governo. A diferença é que Azevedo é mais chegado ao presidente do PL da Bahia, o ex-ministro João Roma. Ser amigo do chefe é outra coisa!

Promessa tem de montão

* Em uma coletiva à imprensa na última sexta-feira (05), Bruno Reis prometeu que esta semana poderia haver uma novidade envolvendo as eleições de 2024. Logo, a imprensa especulou que seria o anúncio do apoio do PL. Procurado pela coluna nesta segunda (08), João Roma, embora admita que a tendência seja de fechar com o prefeito, negou. “Devemos ainda ter uma conversa com Bruno nos próximos 15 dias”, contou. Na prática, no entanto, como antecipou a coluna, não há quem duvide de que o martelo esteja batido.

* Neste início de conversas bilaterais com os partidos aliados, Geraldo Júnior tem prometido que vai ajudar na construção das listas dos candidatos a vereador de cada um. Foi assim como o PSB, na semana passada, e com o PT, nesta segunda (08). Enquanto isso, o MDB, partido do vice-governador, não consegue nem tirar o único edil da legenda, Alfredo Mangueira, da base de Bruno Reis. Devem ser as tais forças ocultas!

* Já o PT, que elegeu como prioridade lutar para não perder cadeiras na Câmara Municipal de Salvador, prometeu que não vai fazer cavalo de batalha pela vice de Geraldo Júnior. “Acho que esse assunto não é prioridade no momento. Ainda não debatemos essa questão e isso deve ficar mais para perto das convenções”, disse à coluna a vereadora petista Marta Rodrigues, irmã do governador Jerônimo Rodrigues.

* Depois que confirmou a pré-candidatura a prefeito, o deputado estadual Roberto Carlos (PDT) prometeu entregar os cargos que tem na gestão da prefeita de Juazeiro, Suzana Ramos (PSDB), postulante à reeleição. Até agora, no entanto, nenhuma exoneração foi publicada no Diário Oficial do Município. Irmão do parlamentar, Charles Leal é secretário de Serviços Públicos, e segue no posto. Já dizem até que o rompimento do deputado com a prefeita é de mentirinha.

A PEC e o TCM

* A Assembleia está em recesso, mas os deputados só pensam em duas coisas após a volta das férias: a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que vai garantir um terceiro mandato consecutivo ao atual presidente da Casa, Adolfo Menezes (PSD), e a disputa pela cadeira vaga no Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). A tendência é que as duas “pautas” sejam prioridade entre fevereiro e março.

* Sobre o TCM, há governista de alta plumagem assegurando que se o deputado estadual Fabrício Falcão (PCdoB) conseguir inscrever a candidatura ele tem chances reais de desbancar o deputado estadual Paulo Rangel (PT), apontado como favorito. Para isso, como mostrou a coluna da semana passada, teria que aplicar um pinote no ex-deputado Marcelo Nilo (Republicanos), outro postulante.

* Sobre a PEC da reeleição, o deputado estadual Ângelo Coronel Filho (PSD) garantiu que a prioridade dos parlamentares é votá-la logo em fevereiro. “Adolfo Menezes conseguiu praticamente quase que a unanimidade na Casa. Não há adversário”, frisou.

08 de janeiro de 2024, 16:04

Compartilhe: