quinta-feira, 29 de fevereiro de 2024

Rapidinhas: O troca-troca na Câmara, os deputados de olho nas urnas e o Jerônimo domador

Foto: Divulgação

Alberico Gomez e equipe

Troca-troca na Câmara de Salvador

* Até abril, os vereadores de Salvador, que retornam ao trabalho na sexta-feira (02), a partir das 9h, com a leitura da mensagem do prefeito Bruno Reis (União), precisam definir os destinos partidários para concorrer a reeleição – o único que deve se aposentar é Alfredo Mangueira (MDB). Pouco mais da metade da Câmara Municipal analisa trocar de legenda. Alguns por necessidade, uma vez que as siglas “mudaram de lado”, outros por sobrevivência política e há aqueles que serão convidados a se retirar.

* No PT, quem deve deixar o partido por uma questão de sobrevivência eleitoral é o vereador Arnando Lessa. Ele já discute uma possível mudança para o MDB, que está de portas abertas para o edil. Depois da desistência do presidente da Conder, José Trindade (PSB), em disputar o Palácio Thomé de Souza, Lessa passou a ser, no ninho petista, um dos maiores defensores da pré-candidatura do vice-governador Geraldo Júnior (MDB).

* Os vereadores do Podemos e do Solidariedade, agremiações que trocaram a base de Bruno Reis (UB) pela do governador Jerônimo Rodrigues (PT), também procuram um novo destino partidário. “Só estarei em um partido que apoiar a reeleição de Bruno”, disse o vereador Ricardo Almeida (Podemos).

* No PDT, os dois vereadores do partido – Anderson Ninho e Randerson Leal – serão convidados a procurar outra sigla. O primeiro por não ter sido candidato ou apoiado nenhum representante da legenda no pleito de 2022, enquanto o segundo, além da mesma questão, tem como agravante ser oposição a Bruno Reis. Outro que deve ser convidado a se retirar é o vereador Joceval Rodrigues, que, embora esteja numa federação da base do prefeito (Cidadania/PSDB), apoia Jerônimo.

* Já a federação formada por PT, PCdoB e PV ainda não resolveu o que fazer com o “verde” André Fraga, que, embora o grupo seja oposição, é aliado fiel do prefeito. Só não foi convidado ainda a sair porque a direção estadual do PV não deixa.

Reabertura de olho nos votos

* Na Assembleia Legislativa, que reabre os trabalhos nesta quinta-feira (01), a partir das 16h30, com a leitura da mensagem do governador Jerônimo Rodrigues, ao menos 14 deputados cogitam lançar candidaturas a prefeito em 2024. Mas a Casa está de olho também em outras disputas, afinal os parlamentares irão votar para escolher o próximo conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), em março, e já anteciparam o debate sobre a reeleição do atual presidente Adolfo Menezes (PSD).

* Sobre o TCM, três seguem na disputa: o deputado Paulo Rangel (PT), o deputado Fabrício Falcão (PCdoB) e o ex-deputado Marcelo Nilo (PSDB). O petista conta hoje com uma lista de apoios assinada por 37 parlamentares, e precisa de apenas 32 votos. Os outros dois apostam nas traições da votação secreta e nas relações construídas na Assembleia.

* “Sobre a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) para viabilizar o terceiro mandato de Adolfo como presidente da Assembleia, vamos analisar como estará o clima para tentar votar logo em março”, contou à coluna um importante aliado do atual comandante da Casa.

Jero, o domador de aliados

* O governador Jerônimo Rodrigues tem buscado se colocar em forma para enfrentar as disputas eleitorais no interior, inclusive dentro da própria base. Até em boi ele está montando para demonstrar aos aliados que ele é capaz de domar qualquer coisa.

* Em Itabuna, por exemplo, Jerônimo quer que a base aliada apoie a reeleição do prefeito Augusto Castro (PSD), conforme combinado com o senador Otto Alencar (PSD). Mas até o PT local está criando problemas e defende o nome do ex-deputado federal e ex-gestor petista Geraldo Simões.

* O MDB vestiu a camisa de Geraldo Simões. “O prefeito Augusto Castro está mal avaliado e não podemos deixar que a oposição vença a disputa em Itabuna”, disse à coluna o presidente da honra da sigla na Bahia, Lúcio Vieira Lima. “A candidatura de Geraldo está tão forte que até agora ninguém conseguiu tirar”, emendou.

* Jerônimo vai ter que domar ainda os problemas na base em outros municípios importantes, a exemplo de Vitória da Conquista, Barreiras, Juazeiro, Teixeira de Freitas e Jacobina.

29 de janeiro de 2024, 17:00

Compartilhe: