segunda-feira, 20 de setembro de 2021

TSE põe 16 pessoas para rebater Bolsonaro sobre urna eletrônica

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Da Redação

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) montou uma equipe de 16 profissionais para checar e distribuir informações nas redes sociais durante a live do presidente Jair Bolsonaro na noite de quinta-feira (29). O evento prometia ser o desfecho do tumultuado histórico de promessas de que ele teria provas de supostas fraudes eleitorais.

Ele alega que a manipulação teria ocorrido tanto no pleito que o elegeu em 2018, como na disputa que reconduziu Dilma Rousseff (PT) ao cargo de presidente, em 2014. Bolsonaro, porém, ofereceu ao público uma combinação de fake news, vídeos datados e fora de contexto e análises enviesadas sobre números oficiais da apuração dos votos.

Durante a transmissão ao vivo, a equipe do TSE fez treze publicações no Twitter e enviou ao menos sete boletins com checagens de informação à imprensa. Dentre os profissionais que integraram a força-tarefa, estão os 11 funcionários da Secretaria de Comunicação do Tribunal, o secretário de Tecnologia da Informação, Júlio Valente, e quatro integrantes do Comitê de Desinformação chefiado pela secretária-geral da Presidência da Corte, Aline Osório. “Foi um trabalho inovador para uma instituição pública”, disse Giselly Siqueira, secretária de Comunicação e Multimídia.

30 de julho de 2021, 22:01

Compartilhe: